segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Resenha: O Ano em que Te Conheci {Cecelia Ahern}



"Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt. Vizinhos, eles não têm o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato. Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt. Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda. Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles têm muito tempo livre e estão em uma encruzilhada. Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer."



 Jasmine é um mulher que vive para o trabalho, não tem muito tempo para relacionamentos, seu grande amor é sua irmã Heather. Mas então ela vê tudo mudar quando é demitida do trabalho e é obrigada pelo contrato a passar no mínimo um ano "de férias" antes de arrumar outro emprego.  Matt é seu vizinho, e ela o odeia.  Ele é do tipo que bebe e encomoda a vizinhança, além de ter um programa em uma rádio cujo conteúdo não a agrada nenhum pouco. Com o passar do tempo ela é obrigada a procurar algumas atividades para se distrair. Ficando mais tempo em casa ela e Matt começam a se aproximar e  aos poucos vão construindo uma amizade.


Cecelia Ahern é realmente maravilhosa. O ANO EM QUE  TE CONHECI é um livro lindo, sobre amizade, amor e evolução pessoal. Ao longo de um ano vamos acompanhando a trajetória de Jasmine, como ela amadurece e descobre novas coisas sobre sí mesma.

Não achei a leitura tão fluida como nos outros livros da autora, mesmo assim a escrita dela não perdeu nenhum pouco o brilho.

Costumamos nos preocupar demais com trabalho, estudos e todas as coisas que nos roubam de nós mesmos. A vida é bem mais que uma rotina. Nem sempre aquilo que parece ser ruim é, a males que vem para o bem. Família, amigos, amores experiências, tudo isso é mais importante que trabalhar exaustivamente. Precisamos de tempo para nos descobrirmos e adurecer, no final das contas é isso que importante.

Todo exterior é passageiro, mas aquilo que estiver dentro de nós vai durar eternamente!




O ANO EM QUE TE CONHECI 
AUTOR(A): CECELIA AHERN 
EDITORA:NOVO CONCEITO
NOTA:   ✭  ✭  ✭ 

domingo, 18 de dezembro de 2016

EU E OS LIVROS

Oi você ai do outro lado, tudo bem? Espero que sim :)
 
Então, hoje vim falar um pouco sobre mim, sobre meu gosto pela leitura e tudo de bom que esse mundo me proporcionou.

Meu nome é Ana Maria mas você pode me chamar de Aninha,  Ana, Nana, ou de Lulu ruiva (eu já fui ruiva de farmácia) em fim, sinta-se a vontade... Apesar de ninguém me chamar de Ana Maria, ninguém mesmo. Eu tenho 20 anos, sou de agosto, dia 11 para ser mais específica, isso quer dizer que eu sou de leão, pois é "aloka dos signos", eu faço faculdade de ciências sociais e se nada der certo eu vou ser hippie —PAZ&AMOR— sou casada, e tenho um filho adotivo, ele tem quatro patas e é a coisa mais gostosa do mundo, encontrei ele ainda filhote na rua e trouxe pra casa, desde então minha vida passou a ser muito mais divertida e bagunçada. Eu sou muito comunicativa, muito mesmo, o que é até meio diferente sendo que a maioria das pessoas que gosta muito de livro é timida e anti-social.

Pense em uma pessoa que fala muito, pensou? Eu falo mais que ela, haha, adoro conversar e fazer novas amizades, não gosto de beijinho de lado da bochecha, então se um dia a gente se conhecer me abrace!  Eu adoro um debate, sou de humanas tá no sangue! Tenho vários hobbys além da leitura, eu danço, escrevo uns textos de vez em quando, cozinho modéstia parte muito bem, costuro e por ai vai. Me intedio muito fácil, odeio rotina por isso que tô sempre mudando de cabelo!

Eu nunca fui uma louca por livros, sempre gostei mas nada exagerado, também não tenho nenhuma história bonita do meu amor pelos livros, sorry.

Pra mim a leitura nunca foi um fardo, mesmo no ensino médio quando a maioria das pessoas começa a odiar literatura brasileira. Completei o ensino médio em 2014 e no meu último ano eu li todos os livros de grandes autores brasileiros que você possa imaginar, nunca por obrigação, sempre por prazer. Mas foi em 2015 que a coisa começou a andar num ritmo mais acelerado. Quando eu entrei na faculdade eu me afoguei numa enchurrada de livros estranhos, tive que "reaprender" a ler novamente. Era tudo muito novo, a escrita dos autores, as palavras totalmente desconhecidas, tinha que ter sempre um dicionário do lado, sem falar à diversidade de temas que me eram apresentados. Foi ai que os livros "normais" entraram com mais força na minha vida, eu terminava um texto de oitenta páginas exaustivo e intediante e lia um capítulo de algum dos meus livros e me sentia melhor, era como se o livro limpasse minha mente e tirasse um peso de cima dela.

Assim as coisas foram indo o que começou como um "remédio" para minhas leituras difíceis se tornou um robby maravilhoso.  Então um dia numa discussão sobre Dom Casmurro eu uns colegas começamos a debater sobre Capitu e Bentinho, como sempre defendi que ela não o tinha traído (mas devia, haha)  mas ah quem diga que sim. Eu fiquei tão incomodada com aquilo que joguei no google "Capitu traiu ou não Bentinho?" Genteee, eu passei a tarde lendo resenhas sobre o assunto, e dai sempre que eu lia um livro procurava resenhas sobre ele, as vezes a opinião batia as vezes não. Então eu descidi dar a minha opinião sobre as leituras, foi ai que surgiu o ALIMENTO PRA ALMA, primeiro no instagram que é uma rede social que eu tenho mais afinidade e agora a qui nesse espaço.

Amo o instagram mas senti a necessidade de um lugar maior onde eu pudesse me expressar com mais clareza, sem limite de caracteres.

Conheci muitas pessoas bacanas ao longo desse tempo no instagram e espero que todas possam me acompanhar aqui também, o ALIMENTO PRA ALMA foi feito com muito carinho pra você, espero que goste!

Abraço e até a próxima!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Resenha: Isla e o Final Feliz {Stephanie Parkins}



Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, quando muito. Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias, envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto ao futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes. Com participações de Anna, Étienne, Lola e Cricket, personagens mais do que queridos pelo público apresentados em livros anteriores da autora, Isla e o final feliz é uma história de amor delicada, apaixonante e sedutora, um desfecho que vai fazer os fãs de Stephanie Perkins suspirarem ainda mais.


Isla esta cursando o último ano do colégio na França e ainda não tem ideia do que quer pro seu futuro. Ela tem um super melhor amigo, Kurt, que é uma das poucas pessoas que sabem da sua paixão por Josh, um garoto com quem ela nunca conversou mais de três vezes.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀
Mas certo dia eles se encontram numa cafeteria e começam a conversar, Isla esta praticamente dopada (ela tirou o siso gente, tava anestesiada 😂) o que ajudou pra que ela se soltasse e puxasse assunto com seu crush. Ele a leva pra casa de baixo de chuva. Mas no outro dia ela não lembra muito bem o que aconteceu e pra completar não vê ele no restante das férias.


Quando se reencontram na escola as coisas vão fluindo bem de vagar, os dois vão conversado se conhecendo, e se aproximando mais. Só que Isla é insegura e toma uma decisão que pode mudar tudo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀
Os dois tem personalidades bem diferentes, ela é tímida, estudiosa e indecisa, enquanto ele é do tipo que quebra as regras. Isla não tem uma personalidade tão forte quanto as protagonistas dos livros anteriores (que no caso eu não fiz resenha, me julguem) mas mesmo assim eu me apaixonei por ela e até me identifico em alguns aspectos. E Josh? A primeira palavra que vem na mente é "talentoso" e depois vem os suspiros 😂 ele é muito fofo gente! E ainda tem o Kurt que é um super amigão e esta sempre do lado de Isla.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀
O livro é muito divertido, nas primeiras páginas você já é fisgado. A leitura é leve e quando você se der conta já vai estar terminando. Pra mim os dois primeiros livros foram melhores, o que não dimininue o alto índice de amor envolvido. 

 

É uma história de amor adolescente, sobre os problemas dessa fase, e as inseguranças pelas quais todo jovem passa.

 

Você não precisa ter um caminho traçado desde sempre, seja diferente, invente, quebre as regras. Seja feliz ♥







 ISLA E O FINAL FELIZ
AUTOR(A): STEFHANIE PARKINS
EDITORA: INTRISECA
NOTA:

Resenha: O Ar que Ele Respira {Brittainy C. Cherry}

Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.


Tristan Cole é misterioso, um homem solitário e triste. Ele perdeu sua esposa e seu filho em um acidente de carro, e isso fez com que ele se fechasse para o mundo.

Elizabeth, também teve uma perda,  a de seu marido Steve.
 E em meio a esse acontecimento ela tem que encontrar forças para cuidar e dar amor a sua filha, Emma, de cinco anos.

Quando seu marido morreu ela passou um tempo na casa de sua mãe, que depois do falecimento de seu pai, já há alguns anos, não credita mais no amor e passa a colecionar namorados na esperança de esquecer a memória de seu falecido marido.
Depois de um ano Liz resolve retornar ao seu lar. Mas ao chegar em Meadows Creek um acontecimento inusitado faz com que ela e Tristan se esbarram pela primeira vez começando assim uma história de amor e ódio.
O livro ainda nos apresenta dois personagens importantes para o desenrolar da história:  Faye, a melhor e mais louca amiga de liz e Tanner, que vai se mostrar ao longo da história uma pessoa que ninguém imaginava que ele pudesse ser.

A história é cheia de momentos emocionantes, alguns dos diálogos de Tristan e Liz me deixaram com o coração apertado. Há também momentos tensos, delicados, engraçados e alguns muito "quentes".  

O livro nos mostra que é possível recomeçar mesmo depois de perdas dolorosas, que o amor nunca morre, ele apenas adormece dentro de nós, e que mesmo diante de momentos difíceis sempre haverá uma nova chance.



O AR QUE ELE RESPIRA
AUTOR(A): BRITTANY C CHERRY
EDITORA: GALERA RECORD
NOTA:   ✭  ✭  ✭ 

sábado, 8 de outubro de 2016

Para minha melhor amiga



Você é louca, completamente sem juízo, e talvez seja por isso que nos damos tão bem. Eu não lembro exatamente como a conheci, mas sei que não tinha expectativas, afinal eu já tinha minhas amigas e você as suas. Mas ai veio a primeira risada, o primeiro segredo compartilhado e a primeira inimiga em comum, não tinha mais jeito, você me conquistou.
Adoro quando saimos juntas, você faz meu cabelo, e eu faço sua maquiagem. Caminhamos com os braços enlaçados morrendo de rir, e virando o pé por causa do salto alto.
É cada situação em que nos metemos, eu já até perdi a conta das aventuras que vivemos. Você sempre esteve lá comigo, rindo, chorando, brincando, trocando aqueles olhares que só nós entendemos.
E eu sou tão feliz por isso, por ter você aqui sempre comigo, me dizendo o que é certo, e  me alertando do perigo.
É você que sempre diz "Eu avisei", é você que me abraça, quando meu coração está partido. E essa vida é mesmo muito louca não é? Eu já tive tantas amigas, mas nenhuma delas preencheu tanto minha vida como você, e sabe, as vezes eu até sinto um pouquinho de ciúmes, quando te vejo com outra amiga, porém eu sei que o que temos é verdadeiro, e a lealdade sempre prevalecera.
Chega a ser até um pouco estranho falar essas coisas pra você, eu só te chamo de vaca, louca, as vezes de ridícula também, ah e eu sempre digo que te odeio, mas a verdade é que eu te amo muito, e não sei oque seria de mim sem você, quem seria expulsa da sala de aula junto comigo? Com quem eu daria minhas crises de riso? Para quem eu iria contar sobre minhas decepções amorosas, e meus amores platônicos?
Depois de todo esse tempo de amizade eu posso dizer que não saberia ir ao banheiro sozinha. É, não sei como seria minha vida sem você para me atormentar.
Você é a melhor amiga que eu podeira ter, obrigada por tudo, eu te amo.


ps: Não se ache!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Resenha: O lado bom da vida {Matthew Quick}

Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um 'tempo separados'. Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que 'é melhor ser gentil que ter razão' e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez.Um livro comovente sobre um homem que acredita na felicidade, no amor e na esperança.


Pat foi internado em uma clínica psiquiátrica, "O lugar ruim" como ele chamava, e não sabe quanto tempo passou lá nem os motivos da internação. Ele só sabe que quer voltar para sua ex, Nikki. Acontece que a esposa não quer vê-lo e não permite que ele entre em contato com ela. Após sair da clinica, Pat vai morar com seus pais pois não tem um emprego e nem sua casa. Ele aceita ajuda até que o "tempo separados" termine.

Ele acredita que tenha acontecido algum desentendimento entre ele e a esposa, reconhece que está um pouco acima do peso e que algumas vezes não dava para Nikki a atenção e o carinho que ela merecia. Decidido a surpreendê-la e a agradá-la, Pat decide fazer exercícios puxados e tentar ser mais gentil com as pessoas.

 Pat percebe que algumas coisas mudaram mas ninguém fala abertamente sobre o seu passado, ele questiona sobre a esposa e apenas lhe falam que ele não pode chegar perto dela. Em uma noite, ele é convidado para jantar na casa de seu melhor amigo e lá Pat conhece  Tiffany (eu adorei muito ela). A jovem também tem um passado conturbado e faz tratamento psicológico.

Durante a leitura, vamos descobrindo o que realmente aconteceu. Embora Pat não saiba o que tenha acontecido ele agora quer mudar, quer fazer sua esposa feliz e fazer com que ela se sinta bem ao lado dele.
Tiffany terá um papel fundamental, pois além de entender o que acontece com ele, a jovem decide ajudar Pat a reconquistar Nikki. -
Mas não é exatamente isso que acontece.

Eu gostei do livro, mas confesso que fiquei um tanto decepcionada. "O lado bom da vida" não superou minhas expectativas, achei a leitura um pouco cansativa e não fui cativada pela história.  Pat é um personagem ótimo, mas quem me ganhou mesmo foi Tiffany.
Mesmo assim vale a pena a leitura :) -
-
★ ★ ★


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A MENINA MAIS BONITA DA MINHA RUA




Eu queria contar para os nossos filhos que nós vivemos um amor de cinema, que eu te dei rosas vermelhas e te vi acordar em meus braços ao amanhecer.

Eu queria ter sido melhor,
Eu queria ter feito você sorrir mais,
Eu queria ter escrito um poema,
Eu queria ter olhado nos seus olhos,
Eu queria ter segurado sua mão,
Eu queria ter dito que te amava mil vezes mais, eu queria você...

Se eu pudesse, te abraçaria agora, seu cheiro iria ficar em mim, e eu iria acariciar seus cabelos até você dormir, mas eu olho pro lado da cama que você dormia, o lado da parede que você tanto gostava, eu olho para os seus livros empoeirados na estante, eu olho para a sua foto pendurada na parede, eu olho em todo lugar, as vezes eu te vejo, mas um segundo depois você não esta mais lá.

Você se foi,

Se foi de mim,
Se foi de nós,
Se foi da vida,
Na nossa história,
Você se foi amor...

E meu coração se foi com você, deixando-me aqui no vazio que é amar uma saudade.
Se você soubesse... Se soubesse o que se passa aqui dentro, a dor que é acordar e não ter teus olhos nos meus, como é caminhar sem segurar na tua mão... É triste, é frio, não tem ar. Eu estou sufocando um pouco mais a cada dia.

Olho pro céu que antes era azul e hoje é sem vida, sem cor. E quando os dias parecem não ter mais fim, quando o sabor das lágrimas é tudo o que eu posso sentir, eu fecho os olhos e penso em você, e sorrio ao lembrar da primeira vez que te vi.

Você estava tão linda com o seu vestido azul, a luz do sol iluminava seus olhos sinceros, você era a coisa mais linda que eu já tinha visto, e então meu dia valeu apena, a menina mais bonita da rua sorriu pra mim.

Como eu queria te ver chegar,
Como eu queria te tocar,
Como eu queria você,
Como eu queria...

Mas eu ainda teimo em acreditar que uma hora o despertador vai tocar, e tudo de ruim que esta cravado aqui dentro vai de desfazer, e enquanto ele não toca eu vou ficar perdido em nossas histórias, nos nossos beijos, nas nossas memórias.
Eu devia ter te dado mais, muito mais, só que o tempo acabou antes que eu segurasse sua mão e te pegasse pra mim. 

Então amor, se o despertador nunca tocar, eu quero que você saiba que eu te amo, e isso é a única coisa que me mantem de pé, e pode ter certeza que você vai viver eternamente dentro de mim, o laço que nós criamos jamais será desfeito, o meu coração é teu e sempre será.
Onde você estiver fique feliz, porque é assim que eu gostaria de te ver, sorria amor, eu vou estar sorrindo por você.

Não vou te dizer adeus, é longe demais, eu te digo até a próxima... Até a próxima lembrança de nós dois. Obrigado por me amar, você sempre será a menina mais bonita da minha rua.