quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Resenha: O lado bom da vida {Matthew Quick}

Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um 'tempo separados'. Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que 'é melhor ser gentil que ter razão' e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez.Um livro comovente sobre um homem que acredita na felicidade, no amor e na esperança.


Pat foi internado em uma clínica psiquiátrica, "O lugar ruim" como ele chamava, e não sabe quanto tempo passou lá nem os motivos da internação. Ele só sabe que quer voltar para sua ex, Nikki. Acontece que a esposa não quer vê-lo e não permite que ele entre em contato com ela. Após sair da clinica, Pat vai morar com seus pais pois não tem um emprego e nem sua casa. Ele aceita ajuda até que o "tempo separados" termine.

Ele acredita que tenha acontecido algum desentendimento entre ele e a esposa, reconhece que está um pouco acima do peso e que algumas vezes não dava para Nikki a atenção e o carinho que ela merecia. Decidido a surpreendê-la e a agradá-la, Pat decide fazer exercícios puxados e tentar ser mais gentil com as pessoas.

 Pat percebe que algumas coisas mudaram mas ninguém fala abertamente sobre o seu passado, ele questiona sobre a esposa e apenas lhe falam que ele não pode chegar perto dela. Em uma noite, ele é convidado para jantar na casa de seu melhor amigo e lá Pat conhece  Tiffany (eu adorei muito ela). A jovem também tem um passado conturbado e faz tratamento psicológico.

Durante a leitura, vamos descobrindo o que realmente aconteceu. Embora Pat não saiba o que tenha acontecido ele agora quer mudar, quer fazer sua esposa feliz e fazer com que ela se sinta bem ao lado dele.
Tiffany terá um papel fundamental, pois além de entender o que acontece com ele, a jovem decide ajudar Pat a reconquistar Nikki. -
Mas não é exatamente isso que acontece.

Eu gostei do livro, mas confesso que fiquei um tanto decepcionada. "O lado bom da vida" não superou minhas expectativas, achei a leitura um pouco cansativa e não fui cativada pela história.  Pat é um personagem ótimo, mas quem me ganhou mesmo foi Tiffany.
Mesmo assim vale a pena a leitura :) -
-
★ ★ ★


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A MENINA MAIS BONITA DA MINHA RUA




Eu queria contar para os nossos filhos que nós vivemos um amor de cinema, que eu te dei rosas vermelhas e te vi acordar em meus braços ao amanhecer.

Eu queria ter sido melhor,
Eu queria ter feito você sorrir mais,
Eu queria ter escrito um poema,
Eu queria ter olhado nos seus olhos,
Eu queria ter segurado sua mão,
Eu queria ter dito que te amava mil vezes mais, eu queria você...

Se eu pudesse, te abraçaria agora, seu cheiro iria ficar em mim, e eu iria acariciar seus cabelos até você dormir, mas eu olho pro lado da cama que você dormia, o lado da parede que você tanto gostava, eu olho para os seus livros empoeirados na estante, eu olho para a sua foto pendurada na parede, eu olho em todo lugar, as vezes eu te vejo, mas um segundo depois você não esta mais lá.

Você se foi,

Se foi de mim,
Se foi de nós,
Se foi da vida,
Na nossa história,
Você se foi amor...

E meu coração se foi com você, deixando-me aqui no vazio que é amar uma saudade.
Se você soubesse... Se soubesse o que se passa aqui dentro, a dor que é acordar e não ter teus olhos nos meus, como é caminhar sem segurar na tua mão... É triste, é frio, não tem ar. Eu estou sufocando um pouco mais a cada dia.

Olho pro céu que antes era azul e hoje é sem vida, sem cor. E quando os dias parecem não ter mais fim, quando o sabor das lágrimas é tudo o que eu posso sentir, eu fecho os olhos e penso em você, e sorrio ao lembrar da primeira vez que te vi.

Você estava tão linda com o seu vestido azul, a luz do sol iluminava seus olhos sinceros, você era a coisa mais linda que eu já tinha visto, e então meu dia valeu apena, a menina mais bonita da rua sorriu pra mim.

Como eu queria te ver chegar,
Como eu queria te tocar,
Como eu queria você,
Como eu queria...

Mas eu ainda teimo em acreditar que uma hora o despertador vai tocar, e tudo de ruim que esta cravado aqui dentro vai de desfazer, e enquanto ele não toca eu vou ficar perdido em nossas histórias, nos nossos beijos, nas nossas memórias.
Eu devia ter te dado mais, muito mais, só que o tempo acabou antes que eu segurasse sua mão e te pegasse pra mim. 

Então amor, se o despertador nunca tocar, eu quero que você saiba que eu te amo, e isso é a única coisa que me mantem de pé, e pode ter certeza que você vai viver eternamente dentro de mim, o laço que nós criamos jamais será desfeito, o meu coração é teu e sempre será.
Onde você estiver fique feliz, porque é assim que eu gostaria de te ver, sorria amor, eu vou estar sorrindo por você.

Não vou te dizer adeus, é longe demais, eu te digo até a próxima... Até a próxima lembrança de nós dois. Obrigado por me amar, você sempre será a menina mais bonita da minha rua.