Posts Recentes

7 livros que me fizeram chorar

16 de janeiro de 2019




Olá pessoas, tudo bem com vocês? Espero que sim :)

Bem, quem me acompanha lá no instagram sabe que eu gosto de romances, mas que este não é meu gênero favorito, apesar de já ter sido quando eu tinha meus 15, 16 anos. Hoje, com 22 eu prefiro suspense, fantasia e distopias, mas de vez em quando eu leio uns livros que me deixam destruída, sabe? Não sou tão fraca para chorar, mas os livros sempre despertam esse lado em mim, e seu sei também que muita gente adora ter o coração partido por causa de uma boa história, então, eu resolvi listar alguns dos livros que me tocaram profundamente e eu espero muito que possa toca-los também. 


Vamos lá?



 PRÍNCIPE MECÂNICO

Esse é o segundo livro da trilogia "As peças infernais" da deusa Cassandra Clare. E eu sou suspeita para falar, já que sou apaixonada por tudo o que ela escreve. 

E essa história mexeu comigo de uma maneira que eu não imaginava, esse foi o livro que trouxe mais emoção para a série, com tantas reviravoltas e descobertas que em alguns momentos eu nem quis continuar a leitura, pois, sabia que ia sofrer horrores. Eu amei cada detalhe de Príncipe mecânico e nesse livro, tem uma declaração de amor, que na minha opinião é uma das mais lindas que já li. É apaixonante!

“ - Você fala em sacrifício, mas não é meu sacrifício que ofereço. É o seu que peço - prosseguiu - Posso oferecer-lhe minha vida, mas é uma vida curta; posso oferecer meu coração, apesar de não saber quantas batidas lhe restam. Mas a amo o bastante para torcer que não se importe com meu egoísmo de tentar fazer o resto da minha vida, seja qual for a sua duração, feliz, ao seu lado. Quero ser casado com você, Tessa. Quero mais do que já quis qualquer coisa na vida. - Ele olhou para ela através de um véu prateado de cabelo caindo sobre seus olhos. - Isto é - falou, timidamente -, se você também me amar.”


.Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres – ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada – foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma se reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico. 










 A LUZ QUE PERDEMOS

Este é um romance extraordinário sobre como o amor verdadeira permanece vivo em nossos corações mesmo quando a vida parece ser contra. Eu terminei a leitura com raiva da autora por ter escrito um livro tão doloroso e cruel, eu queria poder escrever outro final para essa história, mesmo sabendo que não era o certo. Eu recomendo muito esse livro para todos aqueles que não tem medo de crescer emocionalmente. Leia a resenha aqui.


Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo.Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York.
Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro.
Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados?

 É ASSIM QUE ACABA 


Eu não tenho como falar em lágrimas e não citar Colleen Hoover e todo o seu drama colocado nas páginas de seus livros. Esse é um dos meus livros favoritos DA VIDA, com um enredo real e doloroso CoHo narra as fases de um relacionamento abusivo e de como ele destrói a vida de uma pessoa. Acredito que essa é uma leitura que todo deveriam fazer, independente de ser homem ou mulher, é um livro necessário. Tem resenha aqui.



Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade.Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco.Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

NOSSA MÚSICA


Lágrimas, lágrimas, lágrimas e um final arrebatador. Esse foi um dos melhores livros que li ano passado. Quando cheguei a ultima página eu me perguntava se meu coração ainda batia dentro do peito. Uma linda história sobre como o perdão pode ser a cura para uma vida inteira de angustia. Tem resenha aqui.




.
“Uma visão fascinante sobre amizade, família e a fragilidade da vida.” – The Lady“Para quem algum dia já imaginou o que teria acontecido com seu primeiro amor ou com aquele que você deixou escapar, esta história vai falar direto ao coração. É dolorosamente brilhante.” – The SunAlly e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte. Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam. Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.
Espero que tenham gostado e se puderem, deem uma chance a alguns deles. Você não vai se arrepender!



UM AMOR PERDIDO


Esse foi um livro que chegou de mansinho, sem pretensão de me agradar e acabou se tornando um dos favoritos da vida. Com uma narrativa singular e delicada, a autora aborda os eventos de uma guerra, e as cicatrizes que ela deixou no corpo e na alma de muitas pessoas.




.Separados pela guerra, ligados pela memória: uma história envolvente e instigante no rastro da Segunda Guerra Mundial. Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morreu. Na América, Josef torna-se um obstetra bem-sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. No gueto de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver. Apesar de todas as provações e dos infortúnios, mantém a chama daquele primeiro amor acesa, guardada em seu coração. Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um amor perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar.






 O ÚLTIMO ADEUS

Uma história emocionante sobre as cicatrizes deixadas pelo suicídio, um livro dolorosamente lindo, sobre família e os laços que vão além da nossa compreensão 
confira o post aqui


.“Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio.” – Tyler A autora de fantasia que está encantando leitores com a força de sua escrita lança seu primeiro romance contemporâneo – uma trama comovente e impactante situada nos dias de hoje. Depois de sucessos internacionais como a saga Sobrenatural, Cynthia Hand demonstra todo o seu talento numa história sobre perda, culpa e superação. O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.



 A DEFINIÇÃO DO AMOR

Um livro simplesmente extraordinário sobre tudo o que o ser humano sente sobre o luto. Confira o post  aqui



.Numa pequena cidade portuguesa, Susana sofre um AVC. Os médicos decretam sua morte cerebral ao mesmo tempo que anunciam sua gravidez de doze semanas – causa provável do acidente vascular. Francisco, o marido, começa então o diário do seu luto, que vai de maio a outubro, porque decidem não interromper a gestação. Francisco falará então do que é viver a morte anunciada, com todas as circunstâncias que o levaram até ali e que diariamente tem de enfrentar. Entre cada um dos meses, uma véspera se anuncia. Cada uma delas é composta por uma carta, cujo conjunto percorre trinta anos da vida de pessoas ligadas intimamente ao casal e vai explicar muito do que agora se passa.
Comentários
4 Comentários

4 comentários :

  1. Olá!
    Não conheço nenhum dos que você citou acima, acho que o livro que mais me fez chora foi A Culpa é das Estrelas, porque para mim quem morria era a Hazel, e quando o Gus morreu foi um impacto que eu não esparava hahaha.

    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  2. Oii, eu nem consigo separar os livros que me fizeram chorar kkkk eu sou muito chorona.
    Mas gostei muito desses livros. Quero muito ler É assim que acaba' e As peças infernais.

    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  3. Sou muito sentimentalista com certas coisas. Choro facilmente. Adorei a sua publicação.

    Bjos - Votos de uma óptima Quinta - Feira.

    ResponderExcluir
  4. Oiie!

    Só li um livro de Dani Atkins, e me fez chorar demaaaais! Pelo visto, essa é a especialidade da autora, kkk.

    bjuu ♥
    Início de Conversa

    ResponderExcluir